Roda de Oleiro

Mestre Adelino Laranjeira

Mestre Adelino Ferreira Laranjeira – Funceramics

Julga-se que a Roda de Oleiro terá a sua origem na Mesopotâmia  cerca de 4500a.c. As primeiras rodas seriam feitas em pedra e não teriam a configuração atual. Pesadas não rodariam com grande velocidade, mas auxiliariam na produção das peças de barro. Por volta de 3500 a.c. já a roda estaria a ser utilizada com alguma regularidade, por várias civilizações.

Há quem defenda que a Roda de Oleiro é originária do antigo Egipto.
Independentemente de polémicas envolvendo a origem da Roda de Oleiro, é um dado adquirido que ela foi a grande impulsionadora da produção em série de peças cerâmicas de secção circular…Julga-se que por volta de 3000 a.c. tivessem aparecido as primeiras rodas com um campo circular e um eixo vertical tocadas com o pé tal como as que chegam aos nossos dias.

Apesar das diferentes adaptações existem 3 géneros de rodas de oleiro distintas umas das outras:

1) A Roda Baixa.

Museu rural do Marão

Museu rural do Marão

A Roda baixa, com uma altura de aproximadamente 30 a 40 cm de atura e cerca de 50 a 70 cm de diâmetro, era feita numa estrutura de madeira e a roda em si talhada em pedra ou feita em madeira grossa. A Roda é então girada com a mão para se iniciar a produção das peças.

2) Roda Alta.

Roda de Olleiro

Funceramics – Roda Alta

A Roda Alta tocada com o pé, é a Roda tradicional da Freguesia de Aradas em Aveiro.
Esta Roda de Oleiro tem a particularidade de poder ser parada rapidamente e em qualquer momento do processo produtivo. A sua velocidade varia consoante a necessidade do artesão nas diferentes etapas de produção.

Roda de Oleiro           Roda de Oleiro

I – Campo da Roda ( plano circular onde o Oleiro toca a Roda com o pé)
II – Estribeira (placa de madeira inclinada onde o Oleiro pousa os pés. A altura a que está a estribeira é muito importante uma vez que o Oleiro se serve da sua perna direita para manter  o corpo firme enquanto trabalha.
III – Assento
IV – Banca (plano da Roda onde o Oleiro coloca o barro, as ferramentas e peças que vai fazendo)
V – Cabeça da Roda (placa circular onde nasce toda a obra)
VI – Bancal (Rolamento onde encaixa o veio da Roda de Oleiro)
VII – Veio (prumo vertical normalmente em madeira ou ferro que liga a Cabeça da Roda, ao Campo da Roda)
VIII – Afinação da Roda (Conjuntode parafusos e porcas que apertam mais, ou menos o Veio de moda a permitirem um perfeito equilíbrio na rotação dos diferentes elementos)
IX – Samarra do Veio (Conjunto de feltros onde gira a parte superior do veio da Roda)

3) Roda elétrica.

Roda eléctrica

A Roda elétrica é a mais recente. A força motriz é exercida por um motor e a velocidade de rotação é alterada por alavanca manual ou pedal.

 

Outros artigos que pode achar interessantes:

– O que é a barbotina e as suas características
– O que é a cerâmica

 

 

 

4 comentários a “Roda de Oleiro

  1. Boa tarde
    Gostaria de saber o preço de uma roda eléctrica. Somos da olaria de Vila Real e pretendíamos adquirir uma máquina dessa.
    Aguardo resposta o mais breve possível.
    Com os melhores cumprimentos
    Alexandra Pereira

    • Boa Tarde Dona Alexandra,

      Desde já esperamos que tenha tido um bom natal e desejamos a continuação de umas boas festas.

      Informamos que infelizmente não disponibilizamos de rodas elétricas para venda.

      Obrigado pelo interesse e votos de boa sorte para encontrar e roda que procuram.

      Com os melhores cumprimentos,

      Funceramics

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *